quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Progressões apenas para quem se encontra na 1ª posição remuneratória em 2017 - Fim da carreira de coordenador técnico (chefe)




Tenho de concordar!

Alteração das tabelas.

E acabar com chefe de carreira!

Para a administração pública, creio que é mais vantajoso, termos colegas a substituir temporariamente, com períodos de 3/4 anos, com possibilidade de recondução, quando avaliado positivamente por toda a comunidade, claro que com maior peso os colegas que trabalham diretamente no serviço! Creio que estimulava a coisa de alguns...

By Administrativo.

11 comentários:

  1. Já o estuto que foi alterado em 2007, previa o fim da lógica do carreirismo nos CT. Está lá previsto que a essa categoria possam aceder licenciados, mesmo que nao sejam do serviço em causa.
    É preferível essa situação, em que nos cargos de chefia estejam pessoas que foram preparadas para liderar.Atenção ao populismo de dar peso à avaliação feita por colegas, pois a grande maioria nao tem capacidade técnica, para fazer tal coisa, de forma lógica e consequente.

    ResponderEliminar
  2. Os Coordenadores Técnicos deveriam ser por concurso e este aberto apenas e só para os Assistentes Técnicos que estão em substituição, que o fazem com o 12.ºano, pois estes servem para umas coisas e não para outras? Ou querem colocar licenciados que não percebem nada do assunto, como num governo de há pouco, que nem português sabiam escrever? Para incompetência já chega...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só para os Assistentes Técnicos que estão em substituição? "O sol quando nasce deveria ser para todos..." E mais, só com o tempo de serviço (em substituição) na carreira deve ser suficiente para afastar potenciais AT que almejem, também, ser Coordenadores....

      Eliminar
    2. Olhe que também há AT's em exercício de funções licenciados, que percebem (às vezes mais do que o/a CT) do assunto... Parece que está agarrada/o ao lugar

      Eliminar
    3. Um Coordenador Técnico tem de perceber de todas as áreas e assegurar qualquer uma das áreas na ausência do colega. Inclusivé as prestação de contas. Assim sendo, deverão ser estes e apenas estes a irem a concurso, cuja prova deverá incluir perguntas de todas as áreas. Não são os AT's de uma ou outra área a responderem de áreas que nem sequer nunca tiveram acesso. Apenas tão simples como isto. A não ser que queiram passar pela vergonha de terem um 4 ou 5... quanto a habilitações literárias, tenho mais do que qualquer um...))))))

      Eliminar
  3. E também os há sem licenciatura e que percebem mais, bem mais que CT...

    ResponderEliminar
  4. Em tempo de "fascismo" a Secretaria-atual Serviços de Administração Escolar- só poderiam ser chefiadas por "Licenciados". Mesmo os senhores desse tempo mudaram a opinião. Será voltamos....
    Qualquer dia destes um treinador de "ping-pong" e nomeado treinador de futebol do Real Madrid

    ResponderEliminar
  5. A função de CT hoje em dia é bastante exigente, a reboque da subida de exigencia que a carreira de AT já exige. Acho que a carreira de CT deve exigir mais habilitações/competências, que um estagiário, já o Estatuto de 2007 previa este aumento, e isto já foi há quase 10 anos. Em 10 anos a exigência subiu e bastante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por mim até pode ter a 4ª classe... logo que reúna determinadas "skills"...
      Não vejo inconveniente existir uma prova... duas provas.. para todos os trabalhadores.
      Não percebo qual é o receio de determinados colegas.

      Eliminar
    2. Atendendo em que as Habilitações para AT são o 12º ano. As que se seguem, julgo, Licenciatura, Mestre, Doutor.... Será que para as funções/competências legalmente atribuídas ao CSAE/CT, estas habilitações serão suficientes?

      Eliminar
    3. Atendendo à exigências em termos de direito, contabilidade, contratação pública,tic e naturalmente em gestão de recursos humanos, um 12º ano, que pode ser das NO, tirado em 6 meses, é muito curto. O mínimo deveria ser um 12ºano profissionalizante na área das económicas, com a frequência de curso de formação, com duração nunca inferior a uma pós graduação.

      Eliminar


Agradeço o seu contributo com interesse público e de forma séria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...