sexta-feira, 5 de maio de 2017

Sabem como é que o Estado estima impacto orçamental das progressões ? Verifique o cúmulo

Quem acompanha o blogue já me viu cascar no método que a DGAEP usa para apurar o número de trabalhadores no Estado, o chamado mapa SIOE... que apura diversos dados, mas sempre apurados baseados num preenchimento de um ficheiro excel e com muito pouco rigor! E querem que se use o mesmo método, para apurar o impacto orçamental.... além das enormes carências de afecto com a "aplicação excel" que grande parte dos responsáveis demonstra, temos bastantes chefias que não têm ideia do historial das remunerações/progressões dos seus subalternos. 

Aqueles que me enviaram emails a relatar que ainda não tinham a sua situação da avaliação resolvida, alguns desde 2011 e 2012... preparem-me para nova luta campal... a não ser que inventem, como é prática em alguns "casinos"...


Espero que o objetivo de pedirem em separado Carreiras Gerais e Carreiras CIT , não seja um pensamento embrionário...








1 comentário:

  1. Olhando para os mapas, parece que poderá haver retroactivos e se assim for, acho estranho não preverem os funcionários que estavam ao serviço quando já tinham 10 ou mais pontos acumulados e que à posterior mudaram de carreira.

    ResponderEliminar


Agradeço o seu contributo com interesse público e de forma séria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...