sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

10 Questões sobre o Processo de Avaliação de Desempenho para refletirem...

  1. Foi publicado em DR a delegação de competências que designa o avaliador ?
  2. Tiveram conhecimento, por escrito, de quem será o vosso avaliador para o próximo biénio ?
  3. Preencheram e entregaram a auto-avaliação ?
  4. Reuniram com o avaliador, para conversar sobre a mesma ?
  5. O avaliador, partilhou intenção da sua proposta previamente ?
  6. A Missão e objetivos do Organismo foi divulgada ?
  7. Conhecem a constituição do CCA ?
  8. Receberam convocatória para tomada de conhecimento da proposta de avaliação do avaliador ?
  9. Na negociação das competências, objetivos, indicadores de medida, superação... quando não existiu acordo, ficou registado o facto e os motivos ?
  10. Face à proposta ou avaliação final apresentada, ficou registado, que procedimentos iriam ser adotados para superar essa competência/objetivo no biénio seguinte ? 

Existem umas dezenas de questões que se podem acrescentar, fica agora ao vosso critério na caixa de comentários... questões e respostas :)

Existem muitas formas de simplificar o processo... algo que irei abordar proximamente, a começar, pela avaliação exclusiva por Competências, com ponderações ou não, depende da inteligência do CCA.

 
 

11 comentários:

  1. E que tal os avaliadores terem de passar por um curso de formação de avaliação, com pelo menos 50h? É que ler a 66-B não chega para ser avaliador, nem sequer avaliado. Todos deveriam ler a 66-B anotada, existem na net até teses de mestrado sobre o assunto, não é preciso gastar dinheiro. Quer avaliadores quer avaliados, encaram a avaliação de forma muito leviana, por culpa do que aconteceu ente 79 e 2004.

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que deverá existir um sistema de avaliação de desempenho, mas que este sirva para alguma coisa. Não é fazermos de conta todos os anos/biénios que sim senhor, estamos a "fazer a prova" e depois tudo ficar na gaveta. Não fomos nós, os funcionários, que demos cabo do país, mas fomos nós que sofremos na pele o castigo de quem o fez e safou-se impunemente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo! "acho que deverá existir um sistema de avaliação de desempenho, mas que este sirva para alguma coisa" o que não acontece no actual....
      Concordo! "Não fomos nós, os funcionários, que demos cabo do país, mas fomos nós que sofremos na pele o castigo de quem o fez e safou-se impunemente!" décadas e décadas de criação de cargos/funções intermédios, verdadeiros sorvedouros de dinheiro público, e para os trabalhadores "mais pequenos - mas só na carreira) nada, e então na Educação somos dos mais mal tratados!

      Eliminar
    2. Por onde andam os sindicatos?

      Eliminar
    3. Andam por aí, na luta! E V.Exa.?

      Veja a última frase da 1ª página do link seguinte... se conseguir compreender!
      http://www.stfpcentro.pt/j/images/PDF/2016/PRC2017.pdf

      Eliminar
  3. Resposta a todas as questões... no meu agrupamento o processo ainda nem sequer se iniciou!!! Pessoal Não docente não conta para nada!!! queria era ver fazerem isto aos srs. professores!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O SIADAP - Avaliação desempenho, também implica a participação dos trabalhadores, que dela não querem saber... Podemos pedir reuniões com avaliador, reformular objectivos, pedir documentos, reclamar, e muito mais.
      Na minha opinião há dois factores principais nesta avaliação:
      1 - Estagnar progressões;
      2 - Dividir trabalhadores (para mim este foi o objectivo principal da sua aplicação)

      Podíamos estar aqui longas horas a escrever sobre o assunto mas....

      Eliminar
  4. Maior farsa de todos os tempos!!!!!!!! Quem trabalha fica sempre mal, quem anda a lamber as botas fica sempre bem!!!!!! Enfim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente tenho que estar completamente de acordo

      Eliminar
  5. Nem mais, quando o processo nao corre, dentro dos prazos legais, a Lei atribui responsabilidades ao avaliado também. Os avaliados são muito relaxados com o processo.

    ResponderEliminar
  6. Aqui na minha Câmara, porque o processo de avaliação dava muita chatice, resolveram chamar todo o processo de avaliação para debaixo da alçada dos chefes de divisão (não temos departamentos). Como os avaliadores são pessoas muito ocupadas, deram-se ao luxo de inventar um novo interveniente no processo de avaliação. Trata-se da figura do Coadjuvante do Avaliador. Intervém nas entrevistas e no processo de avaliação em todos os momentos quando tal não está previsto legalmente. O que está previsto é que: "O superior hierárquico imediato deve recolher e registar os contributos que reputar adequados e necessários a uma efectiva e justa avaliação, designadamente quando existam trabalhadores com responsabilidade efectiva de coordenação e orientação sobre o trabalho desenvolvido pelos avaliados". Que é diferente de ter um avaliador intermédio. Para cúmulo, estes coadjuvantes/informadores concorrem na mesma quota dos avaliados.
    2+2=4 certo?
    E o avaliador fica desresponsabilizado pois fundamenta a sua avaliação por intermédia pessoa quando o espírito da lei é o de promover a avaliação por contato direto. Se assim não fosse porque mencionaria a lei que "A avaliação é da competência do superior hierárquico
    imediato ou, na sua ausência ou impedimento, do superior hierárquico de nível seguinte..."?
    Enfim, mais uma aberração do SIADAP!

    ResponderEliminar


Agradeço o seu contributo com interesse público e de forma séria.

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...